REVIEW | From Dusk Till Dawn 1x06: Place of Dead Roads [SPOILERS]

O sexto episódio de From Dusk Till Dawn era extremamente aguardado por apresentar a série, enfim, ao ambiente no qual ela deverá passar o resto de sua temporada: o bar mexicano Titty Twister (em tradução livremente abrasileirada, poderíamos chamar o recinto de “Peitinho!”, o que já nos dá a ideia do quão elevado é o nível de seus frequentadores).

No final do episódio passado, vimos os irmãos Gecko e a família Fuller chegarem, após certo sufoco, ao México, onde se encontrariam com Carlos. Todos sabíamos que essa chegada se tratava de um turning point na história da série. Entretanto, por alguns motivos, acredito que ele não tenha sido tão empolgante quanto deveria. Alguns chamariam de decepcionante. Eu, particularmente, não chego a esse extremo, visto que “Place of Dead Roads”, no frigir dos ovos, foi um bom episódio.

Aos fãs do filme original, o que pode ter causado certo arrefecimento foi o excesso de censura presente no Titty Twister. Na película de Robert Rodriguez, por exemplo, a figura que recepciona o quinteto principal de personagens ao bar é interpretada por ninguém menos que Cheech Marin (sim, o maconheiro dos filmes “Cheech & Chong”), que diz sem pudor frases como: “Pussy, pussy, pussy! Come on in Pussy lovers! Here at the Titty Twister we’re slashing pussy in half!”. Aqui na série, o homem à porta do bar (que depois compraria briga com Seth) é bem mais antipático que o do filme, e confere ao seu discurso uma classificação etária bem mais branda do que a original. Há de se dizer, também, que o ator é bem menos talentoso.

Dentro do bar, também, o clima é quase de castidade se comparado ao do filme, em que boobs eram vistos aos montes. Entendo que essa adaptação é necessária quando se trata de televisão, devido às questões de classificação indicativa. Entretanto, ela peca por não conferir ao momento sua devida vibe caótica, a que os fãs do filme tanto adoram. A família Fuller, por exemplo, deveria sentir-se deslocada dentro daquele ambiente. Entretanto, sem esses elementos “sexuais”, o deslocamento não é apreciado como deveria.

Por outro lado, “Place of Dead Roads” consegue empolgar (acredito eu) a todos os que veem a série ao mostrar a odisséia de Freddie, o ranger que está na cola dos irmãos Gecko. Buscando descobrir o paradeiro dos dois, Freddie acaba indo parar nas mãos de Carlos (que também é outro dos nossos personagens preferidos). Esse confronto acaba resultando em uma luta e nas duas mortes mais violentas (e maneiras) da série até agora.

Outro fator que também traz ânimo aos espectadores é o avanço da história de Richie, que enfim vê de perto sua deusa víbora, Santanico Pandemonium. O episódio, aliás, começa logo com um flashback de como ele foi novamente recrutado pelo seu irmão. E nos mata a curiosidade de saber como era Richard Gecko barbudo. Richie também se aproxima um pouco mais de Kate, além de, aparentemente, se distanciar cada vez mais do destino que lhe foi reservado no filme.

No final das contas, portanto, por mais que “Place of Dead Roads” tenha sido um pouco desencantador aos fãs do filme – por ainda não nos presentear com a mudança radical de estilo com que ele nos brinda no exato momento cronológico correspondente ao do que estamos na série, tampouco trazer o humor baixo e escrachado característico do Titty Twister – ele é mais um bom episódio de From Dusk Till Dawn, justamente por conseguir nos cativar com os elementos novos, que se juntarão aos clássicos e culminarão no clímax dessa temporada, que está mais perto do que nunca. Triste vai ser aguardar até o dia 29 pra assistirmos a esse pandemônio. Mas aguardemos. Até a próxima, Ramblers!

PS: Não podemos esquecer da aparição do nosso querido Sex Machine, e a descoberta de que ele já era um amigo nosso.
    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário